Cervicalgia

Dores cervicais: 7 possíveis diagnósticos para o desconforto

Segundo dados na Organização Mundial da Saúde, cerca de 80% da população mundial vai sofrer com dores na coluna em algum momento da vida. E as causas para dores cervicais são das mais variadas possíveis. Também é bastante limitante na vida de uma pessoa que sofre com dores na região do pescoço, os sintomas que elas desencadeiam. Tais como rigidez e mobilidade nos movimentos, dor na palpação do músculo e, em quadros mais graves, estendendo-se para o ombro e braço na limitação dos movimentos, perda da força e sensibilidade.

Por isso, o diagnóstico correto do paciente é muito importante para que o tratamento tenha sucesso. Só assim, quem sofre com isso pode voltar a ter melhor qualidade de vida e deixar de ser refém das dores constantes.

Quais as causas das dores cervicais?

Também conhecida como Cervicalgia, esse tipo de dor geralmente não tem um começo repentino, mas sim gradativo – progressivo. Está mais associada a movimentos muito bruscos do pescoço, longa exposição a uma posição desconfortável, traumas (como acidentes de carro) ou alterações temporo-mandibulares (ATM’s).

Diagnósticos mais comuns para Cervicalgia

Os diagnósticos para esse tipo de dor podem ser variados. Por isso é necessário o exame médico correto para o tratamento. Contudo, listamos aqui as sete principais causas da cervicalgia.

Tensão ou fadiga muscular

É comum o paciente apresentar dores por muita contração ou fadiga dos músculos da região do pescoço. As dores geralmente se concentram por detrás dos ombros, dores de cabeça e tontura.

Ansiedade

Pessoas que são expostas à muitas situações estressantes podem tensionar bastante os músculos da região cervical. Como já dissemos aqui, essa contratura excessiva pode causar dores nos ombros, pescoço e costas.

Torcicolo

Muito comum em jovens, a torcicolo também é um diagnóstico bastante frequente. Trata-se da rigidez na região do pescoço, impossibilitando o paciente de movimentar a cabeça para os lados pela dor ao tentar realizar tais movimentos. Além da má posição ao dormir, a exposição ao frio intenso pode desencadear a torcicolo que, no geral, desaparece rapidamente.

Inflamação dos nervos

A inflamação e degeneração das raízes ou ao longo dos nervos da coluna também é um diagnóstico possível. O tratamento inadequado ou falta dele pode fazer a inflamação evoluir para uma cervico-braquialgia.

Além das dores, os sintomas podem ser de formigamento, diminuição da sensibilidade, sensação de queimadura ou diminuição da força no membro superior.

Bruxismo

A cervicalgia também pode acontecer com que pacientes que sofrem do bruxismo, que é o ato de apertar os dentes durante a noite ou até mesmo de dia (mesmo sendo menos comum). Isso pelo fato de o pescoço estar também ligado aos músculos da língua e músculos da mastigação.

Artrose

Mais comum em pessoas com idade mais avançada (acima dos 50 anos), a artrose também pode ter esse tipo de dor como sintoma. Trata-se da degeneração dos músculos da coluna e dos discos entre vértebras. A dor vem acompanhada de rigidez, rangidos no movimento de pescoço, e limitação dos movimentos.

Hérnia de disco

Quando os discos entre as vértebras se rompem, pode desenvolver-se a hérnia de disco. Trata-se do vazamento núcleo pulposo, que é uma espécie de gel que fica dentro dos discos.

Quando isso ocorre na coluna cervical temos a hérnia de disco, que comprime a região onde está o nervo. As dores e sensibilidade podem se estender desde os ombros até à ponta dos dedos.

Exames e tratamento

Existem vários exames diferentes para identificação de desordens que podem causar dores cervicais. O diagnóstico, geralmente é feito a partir de uma primeira “entrevista” com o médico, que irá avaliar as limitações e sintomas relatados pelo paciente e, a partir disso, pedir os exames corretos, que podem ser a radiografia, tomografia computadorizada, ressonância magnética, eletromiografia, exames de sangue ou até uma punção lombar.

Só depois disso é que o profissional irá indicar o tipo de tratamento adequado. Em casos mais graves de lesões na região do pescoço pode ser necessário recorrer a cirurgia como forma de tratar o problema.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

 

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp