Câncer de boca

Câncer de boca: tudo o que você precisa saber

O câncer de boca como o nome indica engloba toda a cavidade oral. Além disso, na maioria das vezes trata-se de um tumor maligno. Infelizmente, muitas vezes é diagnosticado em estágios avançados. 

Segundo o  INCA (Instituto Nacional de Câncer) observa-se uma incidência maior da doença em homens acima dos 40 anos. Ainda de acordo com o instituto existe uma tendência expressiva desse quadro na região Sudeste do país.

Por se tratar de uma condição muito específica recomenda-se o acompanhamento de um especialista, exclusivo, dessa área. 

Ainda têm dúvidas sobre esse caso? Confira mais informações sobre essa anomalia neste artigo.

Áreas afetadas pelo câncer de boca

Antes de mais nada é preciso distingui-lo de outras neoplasias parecidas. Para deixar isso bem explícito a produção anormal de células é notável:

  •   nos lábios;
  •   gengiva;
  •   bochecha;
  •   céu da boca;
  •   língua;
  •  e abaixo da língua.

Assim, a parte detrás da língua bem como amígdalas e faringe, isto é, palato fibroso não têm qualquer relação com esse quadro.

Sintomas mais frequentes

Sem dúvida as feridas na área que demoram, mais de 15 dias, para cicatrizar são motivo de atenção. Ainda mais se acompanhadas por hemorragia sem motivo aparente. 

Fora isso, observa-se também formação de placas vermelhas ou brancas:

  • no ceú da boca;
  • língua;
  • gengiva;
  • e até nas bochechas.

Ainda pode ocorrer rouquidão recorrente bem como caroços no pescoço. Em condições mais severas nota-se:

  • grande dificuldade ao mastigar e engolir;
  • compromete a fala;
  • aflição como se houvesse algo “entalado” na garganta;
  • capacidade reduzida de movimentos do músculo lingual.

Comportamento arriscado

A  associação clássica causal nesses casos é o tabagismo. De fato, o fumo é o principal catalisador dessa condição, porém, o álcool é outro agravante nesses casos. 

Para se ter ideia disso, existem evidências de que o consumo diário, acima de seis doses, de bebidas com elevado teor alcoólico está ligado ao aumento em 10% de ocorrências do tumor na boca.  

Ademais, a combinação de ambos só piora a situação.

Exposição solar x câncer de boca

A radiação ultravioleta prolongada e, em horários críticos, também contribui para esse quadro. Principalmente, entre pessoas de pele mais clara.

Papel da Nutrição 

A obesidade também pode favorecer essa condição, assim como a desnutrição. De maneira geral, alimentos ricos em betacaroteno, ou melhor de coloração alaranjada, são eficientes na prevenção. 

Assim, vale consumi-los, pelo menos, três vezes por semana. Conheça alguns gêneros que devem fazer parte da dieta:

  • tomate;
  • cenoura;
  • alface;
  • damasco;
  • abóbora;
  • manga;
  • melão cantalupo;
  • acerola.

Câncer de boca X HPV

Embora não exista um consenso na área, há indícios de que certos subtipos do papiloma vírus humano, ou melhor, HPV, provoquem esse tipo de câncer. Essa ligação, inclusive, já foi comprovada no carcinoma epidermóide. Sobretudo, no colo de útero onde age de forma implacável. 

Assim, demonstra-se ,mais uma vez, a necessidade do uso de preservativos essencial durante o sexo oral. Além disso, a campanha nacional de vacinação indicada para grupos menores de idade tende a reduzir essa ocorrência no futuro. 

Enquanto isso, melhor se cuidar por meio de exames preventivos ginecológicos e urológicos regulares. 

Controle da toxicidade 

Sabe-se que a exposição ininterrupta a certos materiais químicos é preocupante. Sobretudo se forem os do gênero abaixo:

  • fluido de corte rotineiro na usinagem;
  • contato direto com sílica, fuligens e agrotóxicos na agricultura;
  • aspiração do amianto e partículas de cimento residuais da construção civil;
  • bem como a poeira do couro entre outros remanescentes da indústria têxtil;
  • sem contar  o quanto a manipulação irregular do formol (formaldeído) em salões de beleza é perigoso;
  • tanto como a longa exposição a solventes orgânicos.

Decerto, há alto nível de toxicidade nesses compostos que deve ser controlada por meio de normas específicas de segurança do trabalho. 

Ademais, o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs) é imprescindível na execução de certos ofícios. Porém, essa premissa não se verifica na prática, ainda mais porque muitas dessas funções são informais.

Por essa razão observa-se a urgência sobre a discussão e penalidades acerca desse tema. Mesmo porque interfere bastante na incidência desse tipo de tumor.

Importância da prevenção

Por último, não custa reforçar a necessidade de verificar a área com frequência. Assim, incorpore o autoexame bucal  a sua rotina. Da mesma forma como a higiene dentária é efetiva essa conduta complementar é essencial.

De modo que se notar qualquer evento anormal dê preferência a uma análise abrangente. Nesse caso procure um cirurgião focado na cabeça e pescoço. Ainda mais porque o diagnóstico precoce faz a diferença no tratamento com grandes chances de reversão do câncer de boca.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp