câncer de cabeça e pescoço

6 tipos de câncer de cabeça e pescoço

Geralmente o câncer de cabeça e pescoço surge na epidermóide, ou melhor uma espécie de  mucosa, que reveste toda essa região. Caso não seja detectado logo, as células anormais irradiam para outras áreas e principalmente porque a incidência só tem aumentado nos últimos anos.

Primeiro, se deslocam para tecidos adjacentes, mas com potencial para causar grandes estragos em outros órgãos vitais.

Além disso, a própria localização por si só é delicada. Afinal, há inúmeros nervos ali, como glândulas e, por fim, o cérebro. Nem precisa dizer que todos eles são estratégicos para o funcionamento harmônico do corpo.

Chegou agora e está perdido sobre esse assunto? Então, se oriente por meio deste artigo. Confira a seguir quais são os seis tipos de tumor mais frequentes nesta região.

Câncer de cabeça e pescoço: início

Para fins didáticos boa parte desses carcinomas começa nas células que cobrem a boca, nariz e garganta .Assim, muitos desses tumores advém de certas células funcionais, sobretudo, das escamosas (alongada e paraquetizada).

1. Tumor de boca

Nota-se esse comportamento atípico celular na boca que se divide em sub áreas conhecidas como:

  • gengiva;
  • língua;
  • lábio;
  • abaixo da língua;
  • área interna da bochecha;
  • palato duro, isto é, céu da boca;
  • e ainda detrás do dente Siso.

Além disso, observa-se maior incidência da neoplasia na lateral da língua e assoalho bucal.

2. Câncer de cabeça e pescoço x faringe

Já os casos específicos da faringe costumam ser delimitados em três zonas principais:

  • nasofaringe: compreende a parte superior da faringe situada atrás do nariz;
  • orofaringe: inclui a parte detrás da língua assim como a parte mais macia do céu da boca. E ainda amígdalas e paredes laterais da garganta;
  • hipofaringe: área mais profunda da faringe, atrás da caixa de voz.

Destaca-se com mais frequência nas amígdalas  e na língua.

3. Câncer de laringe

Esse quadro se desenvolve na parte inferior da faringe. Por conta da função específica ligada à fala, atribuiu-se a ela o apelido de “caixa da voz”. Na verdade, é apenas uma analogia mesmo porque se assemelha mais a um canal do que, propriamente, uma caixa. 

Conforme dito acima desempenha papel determinante na propagação de sons. Ainda mais porque lá se encontram as cordas vocais que ainda estão  encarregadas de proteger a traqueia.

Além disso, a expansão da anomalia para essa região, sem dúvida, preocupa especialistas. Isso porque , geralmente, se dá a partir das vias aéreas. Assim, sempre que isso ocorre interfere também no desempenho da traqueia. Por conta dessa série de eventos encadeados logo a pessoa terá problemas:

  •  ao engolir alimentos e  beber líquidos. Com efeito já que observa-se fechamento incompleto da laringe;
  • assim como episódios de tosse intensa; 
  • sobretudo por falta de ar e asfixia;
  • como a respiração ruidosa;
  • além de contribuir para um quadro de pneumonia crônica.

4. Neoplasia dos “seios da face”

Decerto não existe nenhum termo assim nos livros de Anatomia. Mas como o nome se tornou popular entre leigos nada mais é do que:

“ uma espécie de espaço aéreo, próximo ao osso zigomático e nariz

 Incide de forma agressiva na área que reveste a região. Em razão disso o paciente apresenta grande inchaço e dor intensa nessa área.

5. Câncer nas glândulas salivares

A condição atípica ainda interfere de forma significativa nas glândulas salivares. Como o nome indica estas se envolvem na produção de saliva. Algo que vai muito além da  manutenção da área úmida já que auxilia também na deglutição bem como na defesa do organismo

Para melhor compreensão as glândulas podem ser dividas em:

  • parótidas: se situam nas laterais da boca à frente das orelhas;
  • submandibulares: sob cada lado do maxilar;
  • sublinguais: localizadas sob o assoalho da boca logo abaixo da língua.

Casos assim se manifestam com frequência nas parótidas.

6. Câncer de cabeça e pescoço x ouvido médio

Esse tipo de câncer de cabeça e pescoço ocorre de forma bastante particular, geralmente, porque trata-se da metástase de outro câncer. Sobretudo, o de pele, assim mesmo atinge a camada externa do ouvido para logo progredir com rapidez para o:

  • o tímpano;
  • canal auditivo;
  • demais áreas restritas à região.

Embora seja um evento raro, sem dúvida, merece atenção. Mesmo porque poderia ser facilmente evitado mediante uso de chapéus, filtro solar e exposição cautelosa ao sol.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto.

Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cirurgião de cabeça e pescoço em São Paulo!

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp